6 passos simples para saber quanto cobrar pelos seus serviços

Um dos maiores problemas enfrentados por freelancers e outros profissionais autônomos é saber quanto cobrar pelos seus serviços.

Muitas vezes isso ocorre por causa da insegurança na auto avaliação. Dessa maneira, sempre surgirá a dúvida se aquele valor que se pretende cobrar é mesmo justo.

Essa dificuldade existe porque, ao precificar nosso trabalho, também estamos julgando-o. Pense bem: ao procurar um serviço simples, não desconfiamos daqueles preços absurdamente baratos?

Quando for precificar o seu trabalho tenha em mente que o preço não é colocado somente a partir do seu esforço, mas também do valor gerado ao cliente.

Então, o que você deve considerar exatamente para criar o seu preço e saber quanto cobrar? Veja 6 passos simples que lhe ajudarão nessa questão:

1) Estabeleça sua meta mensal.

Estipule o seu salário. Para isto, considere a carga tributária que irá recolher e jogue o valor acima, isto é, se você quer um salário X, considere X+30% .
Esse será o valor mensal que você terá como base nos próximos cálculos.

Exemplo:
Salário mensal desejado: R$ 2500,00
Total (salário + tributos): R$ 3250,00

2) Calcule seu valor-hora.

Faça uma estimativa de horas que você vai gastar para completar o serviço. Para calcular a hora trabalhada, divida o seu salário pela quantidade de horas mensais.

Exemplo:
Se você for trabalhar 200 horas por mês e deseja um salário de R$ 2.500,00, divida R$ 3.250,00 (lembra dos 30% dos impostos?) por 200.
Valor-hora= R$3250,00/200h = R$ 16,25

3) Defina os custos fixos.

Não se esqueça que existem custos fixos que devem ser considerados. Luz, internet, aluguel e outros custos devem entrar na conta. Um software de gestão financeira, como o ZeroPaper, pode te ajudar a controlar esses números.

Exemplo:
Luz: R$ 35,00
Internet: R$ 65,00
Telefone: R$ 30,00
Gasolina: R$ 50,00
Hospedagem: R$ 60,00
Aluguel: R$ 800,00

Total:  R$ 1040,00

4) Faça o cálculo dos custos fixos.

Divida o custo fixo pelo total de horas que você pretende trabalhar durante o mês. Acrescente o resultado ao valor da sua hora trabalhada e esse será o valor que deverá ser cobrado pelas suas horas trabalhadas.

Exemplo:
Valor da hora trabalhada: R$ 16,25
Custos fixos mensais: R$ 1040,00

Custos fixos / 200h = R$5,20

Total do valor da hora trabalhada: R$ 16,25 + R$ 5,20 = R$ 21,45

5) Adicione as despesas de investimento.

Se quiser, estabeleça uma margem de lucro para investir em novos equipamentos, cursos etc. Estabeleça uma porcentagem de 10% a 20% e acrescente esse valor ao seu custo por hora.

Exemplo:
Salário-base: R$ 3.250,00
Valor destinado a investimento (cursos, equipamentos, etc): R$ 325,00 (10%)

R$ 325,00/200h = R$1,62

Total do valor da hora trabalhada: R$ 21,45 + R$ 1,62 = R$ 23,07

6) Utilize o valor da hora trabalhada para calcular o preço dos serviços.

Para estabelecer seu preço, multiplique o valor da sua hora, já considerando o custo fixo e a porcentagem de lucro, pela quantidade de horas que serão necessárias para concluir o serviço.

Exemplo:
Serviço X (48 horas de trabalho)
Valor: 48 x R$23,07 = R$ 1107,36

Pronto! Seguindo essas dicas e esses passos, você estará oferecendo um preço justo para seus serviços e para seu cliente.

Imagem do texto: Designed by @vectorjuice / Freepik

Escrito por Guilherme Dantas

Fundador do Designerd, empreendedor digital, apaixonado por criatividade, carros, educação financeira e cinema. Arranhador profissional de violão nas horas vagas. Texto original publicado no blog Designerd

Artigos Relacionados

Novos Mercados: Som Instalado

O mercado corporativo de sonorização profissional abrange um amplo nicho de atuação que chamamos de “mercado vertical”, oferecendo soluções audiovisuais para hotéis, restaurantes, supermercados, lojas, shoppings, escritórios, hospitais, indústrias, parques temáticos, igrejas, teatros etc…

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translation »