Quais a diferenças entre cargo júnior, pleno, sênior, master e especialista?

Quando um profissional entra em uma empresa, depara-se com denominações do tipo, cargo júnior, pleno e sênior. Muitas pessoas ficam na dúvida em estabelecer uma denominação exata sobre estes termos. Normalmente cada empresa estabelece uma denominação e classificação própria para cada cargo. Sendo assim, se você nesse momento é um júnior em uma empresa de grande porte pode ser que, em uma empresa menor passe a ser pleno. 

Grande parte das empresas classificam a carreira de um profissional como: estagiário, júnior, pleno, sênior, master e especialista. Geralmente essa classificação ocorre pelo tempo de experiência dentro de uma empresa. Separamos também, confira.

Baseado nessa classificação criamos os Ranks dos membros da nossa comunidade, uma forma de informar o nível de experiência de cada profissional baseado no seu tempo de mercado e em suas certificações.

Lazzaro JESUS – Editor do gigplace

Normalmente avalia-se a experiência de um profissional pelo tempo de serviço. Porém, os trabalhadores da web, e do backstage geralmente possuem registro por Pessoa Jurídica, para isso, o mais importante é possuir os conhecimentos que o cargo está exigindo. Deste modo tem-se a classificação levando em consideração os treinamentos e as habilidades técnicas. 

A classificação, como já havia mencionado antes, acontece pelo tempo de trabalho em uma empresa. Assim, profissionais em início de carreira, com cinco anos no mercado, são classificados como júnior; de seis a nove anos, Pleno; a partir de dez anos sênior e de quinze anos, Master. 

Classificação:

Ao se tratar de cargos e mudanças deles por tempo de serviço, também há mudanças do tipo de trabalho e as exigências que são empregadas. Assim, o júnior, está em fase de aprendizado, realizam atividades sem muita complexidade e com maior prazo de tempo, os profissionais pleno, precisam assumir praticamente qualquer atividade, a única diferença é que nas atividades de maior exigência eles são acompanhados profissionais com mais experiência, o sênior, por sua vez, recebe atividades difíceis e com pouco prazo de execução, a responsabilidade é extrema, sem chance para os erros.

Outra diferença bastante significativa e esperada por todos os profissionais é o aumento do salário/cachê. Com a mudança de cargo, o aumento salarial acontece, porém, as responsabilidades também precisam acontecer. Estar em um nível superior exige comprometimento e determinação.

Não podemos esquecer que essa classificação por tempo de serviço não é uma conta exata, pois, existem profissionais que não conseguem passar de nível, não evoluíram o suficiente para a transição de cargo.

Se você pretender alcançar o sucesso em sua vida profissional, é muito importante ter conhecimento das funções de cada cargo. Procure saber o máximo possível, use vocabulário apropriado, siga e respeite os critérios. Seguindo todas orientações você estará pronto para ingressar em outro cargo, evoluir profissionalmente. Aquele que não tem dedicação pelo seu trabalho, por novos conhecimentos e fica estagnado em seu cargo atual, jamais conseguirá uma promoção, assim, esteja sempre atualizado em seu meio e com certeza conseguirá novas posições dentro da empresa.

Como funciona para colocar meu nível no currículo?

Nas maioria das empresas a classificação não é tão utilizada, mas você saberia colocar esta informação no seu currículo, e para qual vaga deveria se candidatar? Consultamos algumas empresas de Recursos Humanos e elas foram unanimes em mencionar que você não deve colocar esta classificação, apenas apresentar onde você já trabalhou e por quanto tempo, mas porquê? Pelo fato de que a própria empresa fará a classificação de seu nível. 

Em relação às vagas, a consultora explica que as empresas já dizem que tipo de candidato estão buscando. Por exemplo, mais do que dizer que estão procurando um analista pleno, elas estabelecem os pré-requisitos, ou seja, quanto tempo de experiência o profissional precisa ter, o grau de escolaridade e o nível de inglês. 

Texto Original Publicado no site Oficina da Net 
Por RAFAELA POZZEBOM
em 09/02/2011 – atualização: 09/01/2019 14:00214

Artigos Relacionados

Novos Mercados: Som Instalado

O mercado corporativo de sonorização profissional abrange um amplo nicho de atuação que chamamos de “mercado vertical”, oferecendo soluções audiovisuais para hotéis, restaurantes, supermercados, lojas, shoppings, escritórios, hospitais, indústrias, parques temáticos, igrejas, teatros etc…

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translation »